12% dos domicílios em Crato, Juazeiro e Barbalha possuem telefones fixos; WhatsApp lidera no comércio

27/02/2019 às 8:15

Na Cantina Cratense, encomendas só pelo WhatsApp. “Telefone fixo?”, perguntei. Não chegou a ser cogitado. O símbolo do aplicativo aparece com frequência em propagandas coladas nos muros.

“Ninguém mais usa telefone fixo”, diz uma lojista cratense, com o celular em mãos. A afirmação é quase uma verdade.

Apenas 20,2% dos domicílios em Juazeiro do Norte possuem telefonia fixa, segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

A porcentagem média no CraJuBar é de 12,2%, enquanto o menor índice (abaixo de 1,5%) está em Altaneira, Abaiara e Assaré. A pesquisa calcula grupos de 100 domicílios.

Segundo um estudo feito pela Confederação Nacional dos Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) aproximadamente 44,5% dos internautas brasileiros utilizam regularmente o WhatsApp para conversar com uma loja ou vendedor.

Não é à toa, já que o WhatsApp, principal aplicativo instantâneo de mensagens, consegue 120 milhões de usuários mensais apenas no Brasil e 1,5 bilhão no mundo.

TELEFONE EM DESUSO

Ainda de acordo com a Agência, mais de 1 milhão de contratos com telefone fixa foram desfeitos apenas em 2016, em todo o país. Uma tendência negativa ao uso desse equipamento.

Quase 3% dos lares brasileiros não possuem mais telefone fixo. Ao todo, aproximados um terço dos lares brasileiros ainda possui número fixo, mesmo que em desuso, segundo o IBGE.

Enquanto isso, em 2017, o Brasil registrou 236,4 milhões de linhas móveis, praticamente o dobro do que havia há 10 anos.

A mudança é recente e vem com a popularização de aparelhos smartphones e acesso à linhas telefônicas com chips pré-pagos.

ADAPTANDO-SE

Aberta há 35 anos, uma loja de consertos de eletrodomésticos em Crato vem se adaptando à modernidade.

Com um número considerável de clientes veteranos, não pensam em descartar de vez o uso do telefone fixo, mas sim tornar o WhatsApp em um complemento.

Segundo conta a gerente Zuila Ferreira, desde a implementação do recurso, o número de contatos feitos pela internet aumentou consideravelmente. “Tem prevalecido”, atesta.

E próximo dali, no ponto de Táxi da Praça Siqueira Campos, o telefone fixo dentro da cabine ainda é o único jeito de chamar um carro à distância.


Miséria.





Leia Tambem: