Central protegerá 1.400 mulheres vítimas de violência em Fortaleza

01/12/2018 às 13:12

A Central de Monitoramento de Medidas Protetivas, vinculada ao Juizado da Violência Doméstica Contra a Mulher de Fortaleza, começou a funcionar no prédio da Casa da Mulher Brasileira.

A Central vai monitorar inicialmente cerca de 1.400 pedidos de medidas protetivas aplicadas nos últimos três meses, em Fortaleza.

O Ceará é o segundo estado nordestino em emissão destas decisões, ficando atrás apenas de Pernambuco.

Por mês, apenas na capital cearense, cerca de 400 mulheres recebem este tipo de proteção. Em 2018, de janeiro a outubro, foram instaurados 6.601 processos. A maioria dos pedidos é contra o atual ou ex-companheiro por crimes como ameaça, lesão corporal, calúnia e difamação. A vítima deve formalizar a denúncia, de preferência na Delegacia da Mulher, para entrar com pedido de medida protetiva.

A Central é mais uma ferramenta no combate à violência contra a mulher e vem somar ao trabalho da patrulha Maria da Penha, realizado pela Polícia Militar. A Central de Monitoramento de Medidas Protetivas funciona de segunda a sexta, das 8h às 17h.

Por Tribuna do Ceará
Miséria.com.br

 





Leia Tambem: