Fortaleza empata com CSA e continua jejum sobre o rival

Permanece o jejum de vitórias do Fortaleza sobre o CSA/AL. A última foi em 2001, por 1 a 0 no Estádio Rei Pelé e apesar do maior domínio de jogo, o Leão não furou o bloqueio do adversário.
Equipes não conseguiram marcar nenhum gol; Leão segue sem conseguir derrotar o adversário alagoano Thiago Gadelha
29/01/2019 às 8:30

Em jogo realizado na noite desta segunda-feira (28), na Arena Castelão, o Fortaleza teve um maior volume de jogo, dominou as ações, mas ficou no empate em 0x0 com o CSA/AL, pela segunda rodada da Copa do Nordeste. Mesmo com o empate, o Tricolor do Pici chegou a 4 pontos no Grupo A, assegurando a liderança do grupo, mas o torcedor que foi ao estádio saiu com o gostinho amargo da falta de gols.

O sistema tático posto em prática pelo técnico adversário, Marcelo Cabo, trouxe muitas dificuldades à equipe orientada pelo técnico Rogério Ceni.

Não foi um primeiro tempo que agradou nem ao técnico Ceni nem à torcida do Fortaleza. O CSA jogou o tempo inteiro no campo da defesa, buscando os contra-ataques. O Leão do Pici encontrou muitas dificuldades para conseguir impor o seu ritmo de jogo e assim sendo, poucos lances de maior emoção aconteceram.

Rogério Ceni havia feito três modificações na equipe, em relação ao time que venceu o Náutico por 3 a 1, no Estádio dos Aflitos, na primeira rodada. Derley, improvisado na zaga, Carlinhos na lateral-esquerda e Edinho no ataque. Dessas modificações, apenas Carlinhos não conseguiu ser mais efetivo, ou seja não foi uma modificação que tivesse causado efeito visível, ao entrar no lugar de Bruno Melo.

Poucas oportunidades

O Tricolor do Pici teve poucas oportunidades para finalizar, por causa da forte marcação. Ederson estava sumido pelo meio e coube aos velocistas Edinho e Júnior Santos tentarem as jogadas pelas laterais. Edinho cruzou duas bolas perigosas. Numa delas,o atacante chutou e o goleiro rebateu. Em outra oportunidade, Edinho lançou na área, Júnior Santos cabeceou, mas a bola passou à direita do goleiro João Carlos.

O próprio Edinho ainda chutou forte, da entrada de área, mas João Carlos mandou para escanteio. Afora isso, foram chutes sem direção, dados por Felipe e Ederson. O CSA teve apenas uma chance de marcar, com Patrick Fabiano, que cabeceou após cruzamento de Celsinho, mas o goleiro Marcelo Boeck segurou.

Na segunda etapa, Rogério Ceni foi alterando a equipe, sempre colocando atacantes. Jùnior Santos sofreu uma pancada no ombro e foi substituído por Pedro Júnior; Marlon cedeu seu posto a Matheus Alessandro e Edinho foi substituído por Romarinho.

Matheus Alessandro mostrou muita utilidade pelo setor esquerdo, levando para cima da marcação e via de regra levando vantagem, mas os cruzamentos na área não foram muito bem aproveitados. Romarinho e Ederson finalizaram cada um uma bola de gol, mas erraram a pontaria. O adversário, não forçou em nada o goleiro Marcelo Boeck, mas não encaixou contra-ataques.

O Leão do Pici segue sem vencer o Azulão do Mutange. A última vez em que o Leão conseguiu vencer o rival de Alagoas foi em 2001, quando bateu o adversário por 1 a 0, no Estádio Rei Pelé, também pela Copa do Nordeste.

Diário do Nordeste.





Leia Tambem: