Óleo recolhido do mar no Ceará é levado para combustão em forno próprio para o processo

08/10/2019 às 18:13

O óleo encontrado em nove pontos do litoral cearense desde o início de setembro está sendo recolhido do mar e sendo queimado em um forno licenciado para o tipo de combustão, segundo divulgado pelo Governo do Ceará. Além disso, também estão sendo disponibilizados todos os recursos para mitigar os impactos da substância derramada no mar, conforme o Governo.

Praias do Nordeste, incluindo do Ceará, apresentam, nos últimos dias, manchas pretas espalhadas pela orla, afetando a balneabilidade e a vida marinha.

De acordo com o governo, na quarta-feira (9) e na quinta-feira (10), serão realizados sobrevoos em todo o litoral para observar possíveis ocorrências de manchas de óleo próximo à costa, com a participação de técnicos da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace), do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e representantes de ONGs ligadas ao meio ambiente.

Ainda segundo o Governo do Ceará, vistorias por terra serão feitas em todo o litoral, para observar a ocorrência de mancha de flocos de óleo nas praias, com o apoio do Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran-CE), Corpo de Bombeiros e da Sema; limpezas na praia da Sabiaguaba, em Fortaleza, para a retirada do óleo que ainda resiste na faixa do litoral

Derramamento de óleo pode ter sido criminoso

Jair Bolsonaro afirmou, na terça-feira (8), que há a possibilidade de que o derramamento de óleo em praias do litoral cearense e demais do Nordeste tenha sido criminoso. Ele, no entanto, ponderou que as investigações ainda estão em curso e evitou comentar sobre o envolvimento de outros países.

“Não quero gerar um problema com outros países. (…) É um volume que não está sendo constante”, disse Bolsonaro ao deixar o Palácio da Alvorada em direção ao Palácio do Planalto.

Golfinho encontrado morto

No último sábado (5), um golfinho foi encontrado morto com manchas de óleo na Praia da Taíba, em São Gonçalo do Amarante. Ele foi recolhido pela prefeitura do município. O animal tinha manchas da substância na boca e nas nadadeiras.

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) já registrou duas tartarugas mortas pelos resíduos, que podem ameaçar a desova desses animais marinhos. Pelo menos outras três foram encontradas recobertas pelo material, mas ainda com vida, na orla cearense. Há registros de manchas de óleo em pelo menos 124 praias em todos os estados do Nordeste. No Ceará, sete praias foram consideradas impróprias devido às manchas de óleo.

Fonte:Diário do Nordeste





Leia Tambem: